Logotipo: 4 pontos básicos para criação

Dektri Comunicação

O logotipo é um dos primeiros contatos (se não o primeiro) entre o cliente e uma empresa. Ele é um dos fatores que fazem parte da identidade visual, assim como os materiais gráficos, causando a impressão inicial de determinado negócio. Ou seja, sua importância pode definir, em alguns casos, inclusive, a contratação ou não do serviço em questão. A principal função do logotipo é fixar a marca na memória do seu consumidor. Sendo assim, é fundamental que ele transmita ou esteja intimamente ligado à personalidade e princípios da empresa.

Mas não é só quando um novo negócio se inicia que é necessário pensar na criação do logotipo. Às vezes a estratégia está em repensar o que já existe, mesmo que a marca já tenha muitos anos de estrada. Nos dias de hoje, em que tudo muda e evolui muito rápido, as empresas também precisam acompanhar as novas tendências.  Estas mudanças refletem diretamente nos hábitos das pessoas. Consequentemente, tudo isso influencia no público-alvo e seus interesses, que também podem variar com o tempo. Por isso, várias marcas têm reformulado seus logotipos, como o Instagram, a Oi, e a Tim, por exemplo. A atualização da identidade visual é importante para manter a comunicação e a conexão com o cliente.

Para você que não sabe por onde começar a pensar o logotipo da sua empresa ou precisa atualizar o que já existe, listamos 4 pontos bem básicos mas muito importantes para serem considerados neste momento.

PÚBLICO-ALVO: o primeiro passo é ter muito bem definido quem será seu público-alvo (idade, sexo, interesses, personalidade, etc). Este é um ponto que influenciará todos os outros pois o logotipo irá “conversar” com o cliente. Para que isto ocorra de maneira efetiva é preciso elaborar muito bem esta comunicação traçando um perfil completo público que irá atingir.

PRINCÍPIOS: a personalidade e os valores da empresa também devem estar presente no logotipo. Normalmente terá relação com o tipo de público a ser atingido. Transparecer os princípios da marca mostra profissionalismo, proporcionando ao cliente a sensação de confiança e solidez.

LAYOUT: aqui é a hora de pensar nas cores, na fonte, no ícone (desenho) e tudo que for necessário para formar o logotipo, sempre levando em conta os itens anteriores para fazer as escolhas. Cada cor transmite um tipo de sensação diferente e, por sua vez, cada público também as percebe de maneira distinta. A fonte (tipo de letra) que será utilizada deve ser de fácil leitura e é importante fazer testes nos modos itálico e negrito, caso seja necessário usá-los. O ideal é não misturar vários tipos de fontes, pois pode ficar um pouco confuso. O ícone escolhido pode ser algo direto ou abstrato. É importante ter o cuidado de não inserir muitos elementos para evitar a poluição visual.

VERSÕES E FORMATOS: um logotipo bem elaborado deve ficar harmônico quando aplicado nos diversos formatos. Ou seja, é necessário pensar que ele poderá ser impresso e também utilizado no meio digital, o que pode levar a algumas variações conforme o tipo de uso. Além disso, é preciso formular versões, como horizontais e verticais, e aplicações em diversos fundos, claros e escuros. Desta forma, sua marca estará pronta para ser inserida em qualquer tipo de material de divulgação, seja ele online ou impresso.

Logotipo ou Logomarca?

O correto é logotipo e isto tem relação com a origem da palavra: vem do grego, em que “logo” se refere à “palavra/significado” e “typos” quer dizer “figura”. Sendo assim, logotipo é um arranjo de “letras/palavras” com “desenho/imagem” pelo qual uma empresa é prontamente reconhecida. A palavra “marca” em grego tem o mesmo significado que “logo”. Ou seja, “logomarca” seria uma expressão redundante. Está correto também fazer o uso das palavras separadamente, logo ou marca.